"Beneath this mask there is more than flesh. Beneath this mask there is an idea, and ideas are bulletproof"
pesquisar neste blog
posts recentes

Escolha quase aleatória do dia #26

Escolha quase aleatória do dia #25

Escolha quase aleatória do dia #24

Escolha quase aleatória do dia #23

Escolha quase aleatória do dia #22

Escolha quase aleatória do dia #21

Escolha quase aleatória do dia #20

Escolha quase aleatória do dia #19

Escolha quase aleatória do dia #18

Escolha quase aleatória do dia #17

arquivos

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Outubro 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Segunda-feira, 5 de Dezembro de 2011
Escolha quase aleatória do dia #21

A escolha de hoje é sobre uma virtude em desuso, a discrição. A capacidade de ser modesto, de ser um excelente ator secundário, de contribuir, fora da luz de palco, através do trabalho em equipa.

Hoje em dia esta virtude não é, pura e simplesmente, valorizada. A excentricidade, a capacidade de entreter, a palhaçada idiota são muito mais atrativas do ponto de vista do imediato.

No limite, a ignorância e o constrangimento vendem mais mas vendem por pouco tempo. E, por isso, há um conjunto de scouters de novos palhaços sempre prontos a lançar mais um artista para a boca de cena do freakshow.

Eu tenho de confessar que gosto de pessoas discretas. E ontem, a propósito de um vídeo que partilhei no FB, lembrei-me de um excelente exemplo de um artista discreto mas fabuloso: o Jonny Greenwood.

Tem a exuberância do Thom Yorke? Não, não tem. Tem os skills do Jimi Hendrix ou do Jimmy Page? Provavelmente, não. Tem à vontade para ocupar a luz de palco? Nem sempre.

No entanto, é um artista em todo o sentido (e sentimento) da palavra. Aliás, basta ver alguns vídeos de atuações ao vivo e dar uma vista de olhos à lista de equipamento/instrumentos que ele utiliza para se exprimir enquanto artista para apenas sentir o dever de agradecer o facto de podermos experienciar os atos criativos em que ele participa.

Sempre de forma discreta mas sempre, sempre, fabulosa.

 

 


tags: , ,

publicado por lpedro às 10:31

mais sobre mim
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

29
30


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post